Pages Menu
Preparando a chegada em Manchester

Preparando a chegada em Manchester

Olá! meu nome é Carla e sou estudante do 5º período de Design Gráfico da Escola de Design, UEMG. Atualmente estou cursando o 2º ano do curso Ciência e Techonologia em Tecidos na Universidade de Manchester, Reino Unido. Estou extramente feliz de estar aqui, além de ser uma experiência acadêmica incrível, o contato com as pessoas dos mais variados backgrounds é simplesmente fantástico. Compartilhando histórias e preferências descobrimos que no fundo, somos todos iguais…e basicamente o que difere entre nós é o código postal.

Devo confessar que à princípio eu estava, mineiramente falando, com o pé atrás…sem muita confiança nesse programa. Eu tinha lido diversas matérias a respeito de atrasos de pagamento pelo Governo Federal, das taxas acadêmicas e dos valores mensais. Eu achei que todo o processo seria lento e burocrático. Para a minha total perplexidade, tudo ocorreu dentro da mais perfeita eficiência e tranquilidade…”Double Thumbs up” para o CNPq! realmente impressionante uma vez que a única forma de contato foi através de emails com prazo de resposta de 48 horas!!

Dois meses antes do começo das aulas da Universidade eu já tinha recebido todos os valores devidos em minha conta bancária e toda a documentação exigida pela Universidade e pela imigração britânica. O lado acadêmico também foi bem simples, talvez pelo fato de que eu já possuía em mãos todos os documentos necessários: TOEFL, passaporte, traduções juramentadas do meu histórico escolar e meu portfólio.

Um aspecto que pode gerar problemas, apesar de não ter sido minha experiência, é o atraso na emissão de vistos pelo consulado britânico. Como o programa CsF tem a duração de um ano faz-se necessária a emissão do visto, no meu caso Tier 4 (General)… uma mordida de USD 507.00 que não é coberta pela bolsa do CsF. Para a emissão desse visto é necessário: 1. Iniciar o processo online respondendo a algumas perguntas que irão avaliar o tipo do visto e em seguida imprimir o certificado emitido; 2. Também online, marcar a entrevista para o dia desejado, talvez “dia disponível” seja o termo mais apropriado.

Para a entrevista no consulado você deve estar portando todos os documentos originais e suas devidas cópias, o CAS que a universidade te designou e a carta do CNPq atestando todos os valores a serem pagos pela bolsa. Particularmente, eu optei por pagar a taxa de expedição cobrada pela agência do Rio de Janeiro (cento e poucos reais) e receber meu visto pelo correio em casa, três dias depois. Após a entrada no Reino Unido devemos, obrigatoriamente, nos registrar com a polícia britânica (e pagar uma taxa de £34.00).

Na primeira parcela da bolsa do CsF recebemos os valores relacionados a três parcelas mensais, a parcela referente à compra do computador (que deve atender às exigências da universidade), o valor do seguro saúde, a taxa de instalação (para a compra de roupas de cama, banho e para o inverno; panelas e outros utensílios que sejam parte das necessidades diárias) e um valor fixo para a compra do bilhete aéreo – todos esses valores são pagos diretamente na sua conta bancária no Brasil.

Depois que estamos instalados e frequentando as aulas, a universidade emite uma carta destinada aos bancos, que você escolher, para abertura de conta corrente. As taxas de movimentação de conta não são caras, mas após conversar com diversas pessoas descobri uma agência totalmente gratuita para estudantes. People: comunicação é a alma do negócio!

Com os dados da nova conta solicitei ao meu banco no Brasil pra transferir o valor integral da bolsa para a minha nova conta no Reino Unido. Você pode continuar utilizando o seu cartão da conta brasileira, entretanto, incorrerá uma taxa para cada saque que você fizer em caixas eletrônicos fora do Brasil, em excesso às taxas de câmbio. O segundo depósito da bolsa já ocorre no cartão disponibilizado pelo CNPq – no qual também incorre taxas de saque e câmbio – uma vez que o cartão é lotado nos Estados Unidos e eu estou residindo no Reino Unido  -> so not fair!!!  🙁

Eu confesso: eu ADORO a internet…é a maneira mais democrática e eficiente de adquirir qualquer produto ou serviço. Lógico que é importante usar o bom senso: se algo lhe parecer muito bom pra ser verdade é porque não é verdade!! Acredito que nosso “6º sentido” é apenas o nosso inato mecanismo de defesa em modo ativado pra não deixar que a gente entre em confusão. Mantenha seu instinto aguçado e pesquise sem medo. Essa é a razão de eu ter adquirido todos os serviços que precisei pela internet. Assim sendo, eu só vou à agências para contratar serviços quando a opção online é inexistente, ou caso meu “6º sentido” me diga que certa oferta é excessivamente vantajosa. Afinal de contas eu sou mineira…uai!

Manchester, a terceira cidade mais visitada da Inglaterra

Manchester, a terceira cidade mais visitada da Inglaterra

Manchester, região noroeste da Inglaterra

Manchester, cidade na região noroeste da Inglaterra

Como eu não tinha certeza do tipo de cobertura que eu deveria escolher para o seguro saúde, preferi adiar a contratação do serviço para quando eu estivesse instalada em Manchester. Pela internet, fiz a cotação com três seguradoras diferentes; o sistema faz todas as perguntas necessárias e lhe dá um valor estimado. Poucos minutos depois, um consultor entra em contato conosco para confirmar os dados e verificar se o plano escolhido atende às nossas necessidades. Decidi fechar com a Aviva e no dia seguinte recebi meu contrato pelo correio para a devida assinatura: rápido, barato e indolor. Apesar de ter tido a opção de mensalidades, optei por pagar o valor integral e receber 5% de desconto. Dica: sempre pergunte por descontos!!

Meu bilhete aéreo também foi comprado pela internet e, mesmo optando pelo de menor valor, consequentemente o de maior duração,  (~.~)Zzz  o valor do bilhete ainda excedeu o disponibilizado em £100! Claro que o mais barato vai ser sempre o mais interessante, entretanto, é muito importante ficar atenta a preços muito baratos. Além de correr o risco de seu assento não ser garantido (algumas companhias aéreas utilizam estatísticas de assentos vazios para vender bilhetes em excesso), tais billhetes podem ter períodos entre conexōes muito longos, requerendo que você gaste extra com hotéis.

Na mala, não se esqueça dos remédios regulares e das receitas médicas, caso estes sejam controlados. Casacos de inverno ocupam bastante espaço na bagagem, como somos limitados a apenas duas malas de 32Kg, invista em blusas e calças que possam ser usadas em layers – além de não ocuparem muito espaço, te manterão quente mesmo naqueles dias tão frios que pra sair da cama só à base de reza brava!

Vi muitas pessoas, principalmente os estudantes chineses, trazendo utensílios domésticos (como panelas elétricas, etc): pura bobagem!!! Comprei tudo o que precisava por uma pechincha. Mas antes de sair comprando pelas lojas mais próximas e pagar 3x o valor cobrado por lojas localizadas há duas quadras de distância, invista pelo menos uma semana conhecendo a cidade, conversando com os moradores e descobrindo onde estão as lojas do povão (sim!! existe povão na Europa também!!! hahaha) com precinhos super em conta. Você vai agradecer por não ter sido idiota de ter trazido tanta coisa desnecessária na sua bagagem! Além do mais, a voltagem no Reino Unido é 240v (o que significa que qualquer aparelho elétrico que funcione em 127v, comum no Brasil, irá queimar se for conectado a uma tomada 240v), e a pinagem das tomadas também é diferente, o que exige a compra de conversores.

Para as ligações internacionais, além dos softwares que fazem conexões pela internet, os chips pré-pagos são muito fáceis de encontrar e disponíveis, praticamente, em todas as área da cidade, estações de trem, de ônibus e aeroportos. Geralmente é necessário apenas registrar o chip pela internet e em poucos minutos você já pode fazer chamadas. Vale a pena lembrar que nem sempre a Wi-Fi é gratuita, embora raramente seja mais cara do que um ou dois dólares em moeda local. Ter pelo menos alguns dólares em moeda local é outro aspecto importante se você pretende dormir em aeroportos durante longas conexões pois nem sempre o câmbio funciona 24/7 (24 horas por dia, 7 dias por semana).

Atualmente é possível conhecer grande parte do mundo através do computador, utilize-se dessas vantagens pois é sempre bom ter um conhecimento prévio dos lugares por onde você vai passar. Visitas virtuais através do Google Earth me possibilitaram conhecer Manchester antecipadamente. Além de tais visitas terem me ajudado nos deslocamentos aeroporto/trem/moradia, também me deram uma noção do clima e de como as pessoas se vestiam…Hello botas!! Pois Manchester = chuva, chuva, chuva & sol encoberto…quase sempre, mas sem deixar de ser linda é claro! Sem contar que deslocar, ou dar informações como um morador local por lugares que a gente nunca visitou antes é super “cool” !

Canais na cidade de Manchester

Canais na cidade de Manchester

Com relação à moradia, os bolsistas do CsF devem morar no campus da universidade. Durante a inscrição, que ocorre paralelamente aos procedimentos de matrícula, nós podemos informar as três opções de acomodação preferidas, dentre as opções disponíveis para o CsF. Entretanto, a determinação de moradia é sujeita à existência de vagas. É importante ter a acomodação garantida antes da chegada ao campus para evitar o dispêndio desnecessário com hotéis – lembre-se: todo dinheiro economizado implica em dinheiro disponível para viagens!  🙂

No meu caso eu optei por aceitar a opção de compartilhar o banheiro (15 estudantes compartilham 2 banheiros num total de 4 chuveiros e 6 sanitários). Até agora não tive motivos para me arrepender de minha escolha pois o prédio onde vivo é confortável e localizado a aproximadamente 500m de distância do centro da cidade, estudo a uma quadra de distância e a estação do trem fica a duas quadras.

Manchester United

Manchester United