Pages Menu
A Itália e seu sistema de ensino

A Itália e seu sistema de ensino

Quando se faz intercâmbio a primeira coisa que se espera são as diferenças, qualquer tipo de diferença está inclusa nas expectativas, desde as pequenas coisas do dia a dia até o sistema político do país. O que menos esperamos são coisas parecidas, mas aqui existem, é verdade que a Itália é o país da Europa mais parecido com o Brasil, mas mesmo assim existem diferenças por aqui! O tempo todo me pego comparando os funcionamento da universidade que estou com a Escola de Design da UEMG.

O sistema de ensino Italiano é completamente diferente do nosso, principalmente no meio universitário. Primeiramente a graduação aqui se chama Laurea. Primeiro ponto entendido. Segunda coisa importante, existem dois tipo diferentes, a Laurea Triennale e a Laurea Magistrale. A Triennale dura 3 anos, é um curso mais raso, com a parte introdutória geral da área de atuação. Quando se forma nela é possível atuar no mercado de trabalho. Mas como me disseram alguns italianos essa Laurea não vale muita coisa. Desse modo praticamente todos seguem estudando e fazem a Laurea Magistrale, essa dura dois anos e é bem especifica quanto a área de estudo. O que achei interessante é que a Laurea Magistrale pode abranger mais de uma área de estudo. Um exemplo, o curso que estou matriculada se chama Design, Comunicazione Visiva e Multimediale. Ele é ministrado em conjunto com a Faculdade de Ciências políticas, Sociologia e Comunicação. Sim, existem pessoas na minha turma que são formadas comunicação e sociologia. Eles tem um visão de mundo diferente, o que é muito útil e complementa a nossa visão como designers para a disciplina Laboratório de Público Design. De modo simples, é uma pratica projetual onde o objetivo é servir a sociedade. Um estudo de território e população local para assim colocar o design em prática.

Aula fora da faculdade, analise do território

Aula fora da faculdade, análise do território

Outros pontos curiosos, a faculdade aqui é pública, mas todos pagam um valor anual, apenas custa bem menos do que um faculdade particular. Qualquer pessoa pode realmente frequentar as aulas e participar dos trabalhos, mesmo sem estar matriculado. Pois nem existe matrícula na minha universidade. A matrícula é feita para as avaliações finais. Nas avaliações você tem três chances para passar, tem a opção de fazer até três provas ou entrega final de trabalhos de cada disciplina. Haja chance pra passar!

E por fim, os professores têm muita autonomia, podem levar a disciplina da maneira como bem entendem, podem cobrar presença ou não. Podem fazer provas escritas ou orais (sim, é muito comum provas orais por aqui). Podem escolher distribuir os pontos durante o semestre ou apenas avaliar tudo no fim, nas semanas dos Apelos. Podem optar por apresentação de trabalhos ou apenas entrega dos mesmos. Não existe nenhuma regra, apenas datas dos apelos e data de fim das aulas, pois a de início, na prática, não é muito respeitada.

Faço as comparações, penso, penso e penso mais um pouco. Gosto de algumas diferenças, mas de outras não. Uma verdade é que não consigo optar por um melhor método, pois cada um tem suas vantagens. Mas uma coisa é verdade, depois de vivenciar a universidade em outro país passei a gostar mais e ter uma certa nostalgia da ED.

Território de estudo de uma das disciplinas. Parco Giordano Sangalli

Território de estudo de uma das disciplinas. Parco Giordano Sangalli