Pages Menu
A outra metade

A outra metade

No dia 20 de julho, começou o meu segundo semestre de estudos na RMIT (!!!). Antes de qualquer outra coisa, adianto a vocês que minhas férias do meio do ano começaram na segunda semana de JUNHO! Tive bastante tempo pra colocar minhas séries em dia, conhecer o norte de Victoria (estado que abriga Melbourne), Sydney, e – a melhor parte!, receber minha família nessa minha segunda casinha <3

Vista da Harbour Bridge do Opera House, em Sydney

Vista da Harbour Bridge do Opera House, em Sydney

No meio disso tudo, a RMIT pede que façamos duas coisas: escolher as matérias que desejamos cursar e montar nosso horário. Como sou uma estudante internacional e faço parte do programa de Study Abroad, eu tenho liberdade maior para escolher minhas matérias, ou seja, eu não preciso seguir um período específico do curso (desde que eu preencha os requisitos).

No primeiro semestre eu acabei escolhendo sem muito critério, por falta de tempo pra pesquisar cada opção mais a fundo. Não que eu me arrependa das matérias que eu fiz, mas sabe quando você sente que pode ter perdido algo melhor? Pra compensar isso, dessa vez passei horas lendo sobre as matérias que me interessavam e acabei me matriculando em três matérias incríveis!

Antes de contar mais sobre minhas disciplinas, vou tentar explicar como a RMIT funciona em relação à carga horária e horários e deixar tudo um pouco menos confuso pra vocês. A carga horária é calculada por um sistema de créditos: Cada aula costuma valer 12 créditos e no total, precisamos completar 48 créditos. Há disciplinas que valem o dobro de créditos (24), mas elas são proporcionalmente mais exigentes. Quanto aos horários (de acordo com a disponibilidade), você decide tudo, dias e horas. No meu caso, nenhuma das matérias que escolhi são disponibilizadas à noite, mas a maioria delas tinha turma de manhã e à tarde. O grande desafio de montar um horário é conseguir encaixar todas as aulas em horários satisfatórios sem que coincidam. Nem sempre a gente consegue um horário milagroso pra nos liberar na sexta, fazer o quê? É a vida. #move #on

Agora vem a parte divertida!!! Vou explicar separadamente cada matéria que estou cursando nesse semestre – do que se trata, programa do curso, dinâmica…

1) Studio 1

Link para o programa da disciplina (em inglês):  http://www1.rmit.edu.au/courses/050254

A palavra “Studio” aqui corresponde ao que seria “Agência” para nós, OU SEJA, a matéria tem como premissa simular a prática profissional do design. Essa matéria é para o curso de Communication Design o que Prática Projetual é para a gente: Fundamental.

Desenvolvimento de trabalho sobre Metamorfose

Desenvolvimento de trabalho sobre Metamorfose

As aulas dessa disciplina são divididas em três dias: dois dias de Tutorials (aulas práticas) e um dia de Lecture (aula teórica).

No primeiro dia de aula prática nos reunimos em grupos (cada grupo tem um blog), para discutir assuntos relacionados ao design. Já no segundo dia de prática, a dinâmica muda. A cada quatro semanas trabalhamos com um professor diferente, que nos introduz à um novo tema dentro da área do design. A partir do tema, produzimos uma resposta à demanda do professor. Quanto à aula teórica, a cada semana um professor diferente palestra sobre um assunto relacionado ao nosso curso.

2) Intro to Publication Design

Link para o programa da disciplina (em inglês): http://www1.rmit.edu.au/courses/036144

Essa disciplina é uma introdução ao Design Editorial, não apenas seus conceitos como também suas ferramentas (softwares). Aborda tanto a publicação impressa como a online, explorando suas diferenças de linguagem, meio e poder de comunicação.

Com apenas uma aula prática durante a semana, o professor dá conta de: passar conteúdo teórico de diagramação (mas a maior parte vem de leitura mesmo), tutoriais em softwares como Adobe InDesign e Adobe Muse, auxiliar com desenvolvimento de trabalho, feedback e ainda dar uns sermões de vez em quando. (Isso quando ele não fica todo sentimental sobre quanto tempo vai ficar sem ver seus alunos no período da última semana de aula até o próximo ano, enquanto eu tenho que me esforçar pra não deixar as lágrimas rolarem… #chateada).

3) Design Prototyping: Materials, Processes and Experimentation

Link para o programa da disciplina (em inglês): http://www1.rmit.edu.au/courses/004666

Um dos painéis de ferramentas disponíveis na oficina da RMIT

Um dos painéis de ferramentas disponíveis na oficina da RMIT

O nome dessa disciplina é bem auto-explicativo: “Prototipagem em Design: Materiais, Processos e Experimentos”. Ela nos introduz ao universo da prototipagem com o objetivo de nos tornar capazes de produzir resultados criativos (em termo de técnicas e materiais) e seguros.

Esta disciplina não entra na grade do curso de Communication Design como matéria regular, mas como eletiva. Ela ocorre, uma vez por semana, em uma das oficinas da RMIT na Escola de Arquitetura, e é completamente prática. Temos induções de segurança ao ambiente e induções específicas para cada máquina disponível ao nosso uso (realizadas à medida da necessidade). Ah! Os materiais que usamos nos trabalhos (isopor condensado, papelão, madeira, metal, etc.) são fornecidos pela RMIT, mas você deve pagar por eles depois. (Eu só descobri que eu precisava pagar por tudo depois de já ter feito dois trabalhos! Como assim eles não avisam antes, gente?).

Essa é a disciplina mais diferente que eu tenho feito nesse semestre… A relação do professor (e auxiliar) com a turma, a relação entre colegas e até mesmo a relação de trabalhos: tudo é diferente (e muito desafiador).

Protótipo de câmera em isopor condensado

Protótipo de câmera em isopor condensado

Até o momento posso dizer que estou muito satisfeita com minhas escolhas. Eu não escolho disciplinas “tranquilas” (e às vezes eu perco a cabeça com algumas delas!), mas sim aquelas que me parecem mais interessantes, que possam acrescentar coisas diferentes ao meu aprendizado e prática de trabalho, e me desafiem sempre a ir além dos meus limites. E eu acho que esse é um dos principais objetivos do meu intercâmbio, né?

É uma delícia explorar Melbourne, a Austrália etc., mas uma das coisas que me deixam mais feliz de estar aqui é conseguir visualizar o impacto dessa oportunidade no meu futuro. É um discurso meio brega, mas é verdade! Eu já sou uma pessoa diferente desde a primeira semana que passei aqui, meu trabalho é diferente, e, consequentemente, minha perspectiva pro futuro é diferente.

(Ainda bem!)