Pages Menu
Chá das cinco com Betinha

Chá das cinco com Betinha

Trabalhos entregues e, para dar uma revigorada entre novos projetos, nada melhor do que workshops e viagens. Começando pelo começo, a lindeza dessa universidade, nessa lindeza de cidade nos ofereceu uma semana com os melhores workshops possíveis.

Até então já tiveram dois workshops de serigrafia (com focos diferentes, é claro), encadernação, encadernação japonesa e line-o, que é um processo de impressão muito, muito legal do qual eu só tinha ouvido falar, mas que, no final das contas funciona praticamente como uma xilogravura.

Levando tudo isso em consideração, tenho agido como uma criança que (re)descobre todo um novo mundo, hehe. Sempre li, estudei e aprendi em sala de aula na UEMG o que era cada um desses processos e sempre achei que tinha um conhecimento razoável de tudo isso (o que não deixa de ser verdade), mas ao aprender fazendo, a gente se depara com toques, cheiros, dificuldades e texturas que mudam completamente a forma que enxergamos cada um desses processos. Isso com toda certeza dá um charme a mais pra tudo aquilo que já tínhamos lido e ouvido falar. O que só me faz amar cada dia mais os processos de produção por trás de cada projeto.

Serigrafia

Serigrafia

Mas enfim, antes que eu perca o foco e não fale de tudo aquilo que pretendia falar, devo voltar aos trilhos e dizer… fui pra Londres e me apaixonei. A ideia de cidade grande e capital atinge um novo patamar quando, descendo do trem, você se encontra na estação de metrô King’s Cross. Saindo da estação a gente se deparou com um certo caos que, apesar de tudo, tem sua harmonia e que fazem da cidade o que ela realmente é.

King's Cross

King’s Cross

À noite, me apaixonei ainda mais quando peguei o metrô e desci ao som de um trio de blues em Camden Town. Um bairro inteiro que parece uma feira constante com todos os tipos de atrações possíveis para o mais diverso público. Um lugar onde você pode comer, beber, dançar, comprar ou simplesmente vagar por suas ruas admirando tudo que ele tem a te oferecer.

Camden Town

Camden Town

No dia seguinte, é claro, não pudemos deixar de visitar Betinha em seu palácio, andar aos pés do Big Ben com o London Eye nos encarando. Mas dentro desse roteiro, me senti honrado ao entrar no British Museum e olhar a menos de um metro de distância a Pedra de Rosetta. Parecia que tudo aquilo que todos os nossos professores já tinham comentado estava se materializando em nossa frente!

Em Londres

Em Londres

Pedra da Rosetta

Pedra de Rosetta

No meio a isso tudo, vagando em meio Londres nos deparamos com uma loja que quase me faliu. London Graphic Centre. Um lugar onde é possível encontrar todo o tipo de material necessário pra criação que você conseguir imaginar. Muita emoção prum fim de semana só!

London Graphic Centre

London Graphic Centre

Como toda festa acaba, chegou a hora de voltar pra nossa cidadezinha. O que, depois disso tudo, foi um alívio (por incrível que pareça). Não me entenda mal, Londres é linda e já já a gente volta, mas não sei se gostaria tanto de fazer do caos e dos preços atmosféricos parte da minha rotina.

Mas enfim, por hoje é só…  Espere cenas do próximo episódio, porque tenho certeza que ainda tem muita coisa boa por vir.