Pages Menu
Culinária sem Fronteiras

Culinária sem Fronteiras

Uma das primeiras coisas que passam na cabeça da gente, quando vai morar um tempo fora é: “MEU DEUS, O QUE QUE EU VOU COMER?”

Bom, passado um mês morando aqui no flat da universidade, vou compartilhar um pouco sobre a dura realidade de cozinhar todo dia. Dizem que a necessidade é a mãe das invenções ou alguma coisa assim, e acho que esse é bem o meu caso com a cozinha. Antes dessa conversa toda de intercâmbio, sabia fazer apenas o básico do básico: misto, ovo e algumas variações dos dois. A medida que a data da viagem foi chegando, percebi que era uma realidade que não poderia deixar de lado. Mesmo que comesse fora a maioria das refeições, simplesmente não daria certo! Sem contar o lado financeiro da história, comer bem, e comidas caseiras é um dos fundamentos do bem- estar.

Bom, convencido que não adiantava fugir, resolvi encarar de frente e, no último mês em casa, cozinhei quase todos os dias. Minha mãe ensinava os princípios fundamentais dos processos, e algumas receitas clássicas lá de casa, enquanto mesclava com um livro do Jamie Oliver, com receitas bacanas de 30 minutos – na teoria. Esse tempo de aprendizado foi sensacional, e aprendi não só um nível legal de cozinha, mas aprendi também a gostar do processo. E acho que essa é a parte mais importante, cozinhar deixou de ser um peso psicológico e passou a ser quase um lazer, algo que realmente me diverte. Sei que ainda existe um universo culinário inteiro pra entender e aprender, e acho que só depois de alguns anos cozinhando e explorando você se torna realmente bom. Mas o que importa agora é que estou comendo bem e curtindo demais o tempo na cozinha!!

Aqui em Londres, peguei algumas receitas desses livros que comprei, algumas da internet, e algumas de cabeça mesmo!

A parte não tão romântica da história é a questão do tempo. O tempo é corrido demais, e chegar da aula 12h30 e ter que fazer almoço, significa que você só vai começar a comer, com sorte, 13h30, 14h. Contando o tempo de comer tranquilo e lavar a louça (parte fatídica essa), sua tarde começa 15h – muito mais tarde do que estava acostumado em casa. Some isso a ter que, aspirar o quarto; lavar o banheiro, lavar, secar e guardar roupa; fazer e guardar compras e outras atividades de housekeeping, que você tem um quadro geral da rotina aqui! Normalmente eu separo um dia da semana pra resolver a maior parte dessas coisas, e durante os outros dias só vou arrumando e limpando de leve. Mas, voltando a cozinha, no final das contas é muito bom porque, na maioria das vezes, não cozinho só pra mim, e com praticamente o mesmo esforço, compartilho o momento e as despesas com amigos – sem falar que é ótimo o contrato “um cozinha e o outro lava”!!

Temperos, temperos, temperos =)

Bom, como um bom cidadão do século 21, tirei muitas fotos das refeições que fiz, e salvei algumas pra compartilhar aqui. Enjoy =)

Fusilli à Putanesca  | Felipe Bottrel | Inglaterra

Fusilli à Putanesca | Felipe Bottrel | Inglaterra

Maki com salmão (amigos coreanos ensinaram a fazer)

Maki com salmão (amigos coreanos ensinaram a fazer)

Salmão ao molho de laranja

Salmão ao molho de laranja

Fajitas com rigattoni

Fajitas com rigattoni

Peito de Frango assado com bacon e limão siciliano

Peito de Frango assado com bacon e limão siciliano

Picanha na chapa =)

Picanha na chapa =)