Pages Menu
Design no Canadá Atlântico

Design no Canadá Atlântico

Até então desconhecida por mim, Halifax se tornou uma grata surpresa para a minha experiência como intercambista. Em um país como o  Canadá, onde a modernidade impera, encontrar uma cidade histórica com uma riqueza cultural e natural vasta foi motivo de entusiasmo.

Principal porta de entrada dos imigrantes no passado, o porto de Halifax é muito importante para a economia da província, e também por ser um dos portos no hemisfério norte que não congelam no inverno.

Apesar de ser uma cidade de porte médio, Halifax possui um número muito grande de universidades e uma população estudantil muito ativa e diversa. É normal ver turmas imensas passeando pela cidade em certas regiões, o que com certeza foi uma das razões que levou a cidade a ter o maior número de pubs per capita do Canadá!

Outra questão interessante é que o centro da cidade tem um visual europeu e se distingue muito dos bairros mais residenciais, que se assemelham mais aos modelos americanos de cidade.

O primeiro desafio para essa nova jornada foi o voo. Com alguns atrasos e mudanças no cronograma, voei de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro, do Rio para Atlanta, de Atlanta para Toronto, e finalmente de Toronto para Halifax. Foram mais de 25 horas viajando até chegar ao meu destino! Mas me preparei bem o bastante para isso e não tive problemas nos aeroportos, sempre pedindo informação quando me surgiam dúvidas e seguindo o fluxo.

O segundo grande desafio foi encontrar uma moradia. Fiquei hospedado em um hostel durante sete dias até encontrar um local para morar. A média de preço em Halifax é considerada abaixo da média do Canadá, mas ainda é um pouco assustador quando comparamos com o preço no Brasil. Moro em uma casa de seis quartos, mas até o momento só há mais duas pessoas vivendo comigo e estou satisfeito com a minha escolha. As pessoas na cidade são muito amigáveis e o estereótipo canadense da boa educação parece verdadeiro até agora!

Estudo na Nova Scotia College of Art and Design (NSCAD). A universidade possui três campi bem distintos e muito interessantes. Um deles é um conjunto de prédios bem antigos que foram conectados entre si, o que gera uma facilidade enorme em se perder lá dentro! O outro campus que fica mais próximo do porto já é um prédio mais moderno. O terceiro campus fica também no centro da cidade, mas só passsei lá no dia do tour pelos campi.

Fountain Campus

NSCAD – Fountain Campus

Fountain Campus

Fountain Campus

Port Campus

Port Campus

O transporte público é gratuito para estudantes, mas por ser uma cidade menor, só há ônibus. Até o momento eles me atenderam perfeitamente e levo aproximadamente 10 minutos para chegar até a faculdade.

Já faz quase vinte dias que cheguei aqui, mas demorei um pouco para resolver tudo (moradia, computador, etc). Porém, a adaptação tem sido bem tranquila e não tive grandes problemas com nada.

Para finalizar, deixo aqui uma fala presente no livro A Náusea, de Jean Paul Sartre, que me fez refletir muito sobre essa experiência de intercâmbio:

“Deve ser uma reviravolta tão grande! Se alguma vez fizesse uma viagem, acho que, antes de partir, gostaria de anotar os menores traços de meu caráter para poder comparar, ao regressar, o que era antes com aquilo em que me transformei. Li que há viajantes que mudaram tanto, física e moralmente, que ao retornarem seus parentes mais próximos não os reconheciam.”

Um abraço à todos!