Pages Menu

Dúvidas

Quem pode participar do programa Ciência sem Fronteiras?
O candidato deve cumprir com os seguintes requisitos:

Ser brasileiro ou naturalizado; Estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados às áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras; Ter sido classificado com nota do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM – com no mínimo 600 pontos considerando os testes aplicados a partir de 2009; Possuir bom desempenho acadêmico; Ter concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso de graduação.

O que é necessário para ser beneficiado?
O candidato deve:

Ter sido agraciado com prêmios em olimpíadas científicas no país ou exterior; Ter tido ou estar usufruindo de bolsa de iniciação científica ou tecnológica do CNPq (PIBIC/PIBITI) ou do PIBID da CAPES.

Quais são as áreas contempladas pelo programa?
As áreas contempladas são:

Engenharias e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra; Energias Renováveis; Tecnologia Mineral; Formação de Tecnólogos; Biotecnologia; Petróleo, Gás e Carvão Mineral; Nanotecnologia e Novos Materiais; Produção Agrícola Sustentável; Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais; Fármacos; Biodiversidade e Bioprospecção; Tecnologia Aeroespacial; Ciências do Mar; Computação e Tecnologias da Informação; Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação); Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva; Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;

Quais são os benefícios do aluno participante do programa CsF?

Mensalidade de bolsa; Auxílio-Instalação; Auxílio material didático Passagens aéreas; Seguro Saúde. Os valores podem ser consultados clicando aqui.

Qual a duração da bolsa?

As bolsas são de até 12 meses, podendo estender-se até 18 meses quando incluir curso de idioma; O prazo de curso de idioma é apresentado na Chamada, variando de País e de acordo firmado com as universidades no exterior.

O que é necessário para ser homologado pela UEMG?
– Estar regularmente matriculado em curso de nível superior nas áreas e nos temas indicados na chamada pública;

– Percentual do curso concluído, tendo integralizado no mínimo 20% e, no máximo, 90% do currículo previsto para seu curso, no momento do início previsto da viagem de estudos;

– Apresentar perfil de aluno de excelência, baseado no bom desempenho acadêmico segundo critérios da própria IES. De acordo com a UEMG, tais critérios de elegibilidade passarão a ser:

Se o aluno possuir um coeficiente de rendimento igual ou maior 60% e nenhuma reprovação no histórico escolar; ou possuir um coeficiente igual ou maior que 70% e uma reprovação no histórico escolar; ou se o aluno possuir um coeficiente de rendimento igual ou maior que 80% com até duas reprovações no histórico escolar, este aluno terá sua inscrição homologada. – Se aplicável, confirmação de prêmio acadêmico e de mérito;

– Se aplicável, confirmação de participação em programa de iniciação científica ou docência.

Em relação ao Design de Ambientes, há possibilidade de participarem do CsF?
Para obter essa informação é necessário acompanhamento específico de cada edital. Até então (julho/2013) o curso Design de Ambientes não foi contemplado no edital vigente do programa Ciência sem Fronteiras.
Prêmios em olimpíadas como de matemática e química do ensino médio contam como vantagem?
Qualquer prêmio acadêmico “oficializado” pelo governo ou estado como por exemplo Olimpíadas Mineiras ou Brasileiras é considerado um mérito a mais do candidato. A comprovação do prêmio através do certificado será exigida.
É obrigatório fazer algo durante summer break? Estágio pode ser remunerado?
Para obter essa informação é necessário o acompanhamento do edital específico do país desejado. Estágios remunerados não são permitidos pelo programa.
Existe a possibilidade de trabalho no país do intercâmbio?
Sim, existe a possibilidade de estágio em qualquer país, porem esse não deverá ser remunerado. É recomendável a participação em projetos dentro da própria faculdade.
É exigido portfolio?
Para a área de Industria Criativa normalmente é exigido portfólio. Para obter essa informação é necessário o acompanhamento do edital específico do país desejado. Cada universidade tem exigências próprias, por isso é necessário também acompanhamento do edital para ingresso na universidade desejada.

As matérias cursadas lá fora tem que estar exclusivamente dentro do curso que se faz aqui no Brasil (ex: Design Gráfico) ou posso pegar matérias de outros cursos relacionados (como matérias de cursos como Artes Visuais ou Media Design, por exemplo)

As matérias escolhidas devem estar dentro da área de atuação (Industria Criativa). Cada universidade tem exigências próprias, por isso é necessário acompanhamento através do site da universidade desejada.
O ENEM é obrigatório?
Sim, o ENEM se tornou obrigatório a partir do edital de julho/2013. A exigência é :

“Ter sido classificado com nota do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM – com no mínimo 600 pontos considerando os testes aplicados a partir de 2009”

Como a UEMG vai aproveitar a carga horária e o conteúdo cursados no exterior?
Dificilmente a carga horária será aproveitada, tendo em vista a diferença na grade curricular cursada no exterior e a da UEMG.
Qual a diferença entre o TOEFL e o IELTS?
Inglês Britânico ou Inglês Americano?

IELTS utiliza mais o inglês britânico enquanto o TOEFL utiliza na maioria dos casos inglês americano.

Múltipla Escolha ou Cópia?

Para as Seções Reading e Listening, o TOEFL utilize questões de múltipla escolha, enquanto o IELTS espera que o candidato copie as palavras do texto ou da conversação palavra por palavra. Questões de múltipla escolha tendem a exigir um raciocínio abstrato um pouco melhor, enquanto o IELTS favorece as pessoas que possuem boa memória e pensam de uma forma mais concreta. Nas questões de múltipla escolha é fácil detectar as opções incorretas, enquanto nas atividades de copiar, o aluno apenas deve encontrar as respostas e repeti-las. Assim, alunos que possuem um pensamento concreto tendem a obter um score melhor no IELTS, e os com pensamento abstrato conseguem um score mais alto no TOEFL.

Previsível ou diferente a cada questão?

O TOEFL é mais previsível que o IELTS. O IELTS utiliza muitos tipos diferentes de questões e as instruções são frequentemente diferentes a cada vez, o que torna a preparação para a prova mais difícil.

Falar com uma pessoa ou com um computador?

A parte oral do IELTS é feita separadamente, no formato de uma entrevista, o que pode deixar os candidatos nervosos. Por outro lado, você pode sentir-se mais a vontade com uma pessoa do que com um computador. Se você gosta de falar com pessoas, o IELTS é sua melhor escolha. Se você quer estar sozinho, e não ser sentir-se avaliado, o TOEFL é a melhor alternativa.

Avaliação Holística versus Avaliação por Critérios

As seções Speaking e Writing do TOEFL são avaliadas holisticamente. O score é baseado na qualidade geral do essay, incluindo vocabulário, lógica, estilo e gramática. O IELTS, por outro lado, é avaliado por critérios individuais e a notas são dadas individualmente pela gramática, escolha das palavras, fluência, lógica, coesão, e uma dezena de outros critérios. Em outras palavras, se você escrever bem, mas cometer muitos erros pequenos de gramática, seu score do TOEFL será bastante alto porque os avaliadores ignoram erros pequenos se a composição for lógica e detalhada. O IELTS não ignora erros de gramática. Por outro lado, se sua gramática for boa, mas você tem dificuldades em expressar sua opinião ou organizar um essay, você poderá obter um score baixo no TOEFL, porém um bom score no IELTS.

Formato do Teste

Outra diferença significativa entre o IELTS e o TOEFL é que, em alguns países, o TOEFL é oferecido nos dois formatos (paper-based e computer-based), o que torna a escolha dos estudantes mais fácil, já que eles podem optar pelo formato que melhor se adeque as suas necessidades.

Já o IELTS foi criado pela Universidade de Cambridge e é administrado pelo British Council. Diferente do TOEFL, este exame não tem prazo de validade e pode ser refeito sem limite de intervalos. Mas é importante saber as universidades geralmente pedem uma validade de dois anos. A nota é dada em uma escala de 0 a 9. A prova é dividida em dois módulos, um chamado de Academic Module – voltado a candidatos de graduação e pós-graduação; e outro que é o General Training Module – voltado a profissionais. O IELTS custa R$ 440,00 por prova. Na “compra” da prova, você ganha 30 horas de aulas preparatórias. A prova é aplicada em praticamente todo o Brasil entre 2 a 3 datas por mês.

Apesar das diferenças, os dois exames testam as mesmas competências. As duas provas testam o Listening (Compreensão auditiva), Reading (Leitura), Writing (Escrita) e Speaking (Oral).