Pages Menu
Gordo fazendo gordice na Itália

Gordo fazendo gordice na Itália

Nessa altura do campeonato, faltando menos de três meses para o retorno ao Brasil, já me dei conta do que vou sentir mais falta nesse país: a comida. A Itália não é um exemplo de organização e competência como a Alemanha, mas se tem uma coisa que eles sabem fazer com maestria indiscutível é comida (e vinhos fodasticamente bons e baratos para acompanhar).

Em Firenze você vai encontrar dezenas de restaurantes finos em cada quarteirão ofertando os clássicos pizza, pasta ou a bisteca fiorentina. Mas nem sempre estes são os melhores locais para se comer (até porque eu ainda não fiquei rica). Saindo um pouco do circuito turístico, entrando em ruazinhas mais afastadas e olhando mais atentamente, você encontra locais despretensiosos onde comer a verdadeira culinária toscana ou até mesmo uma pizza estilo napolitano sem gastar demais.

 É muito melhor do que parece!

É muito melhor do que parece!

O que me fez, como uma verdadeira alma gorda, apaixonar pela Itália foi o fato de que, com pouquíssimo dinheiro se pode comer como um deus. Ou como um porco, dependendo do ponto de vista. Nos supermercados, por exemplo, você pode encontrar as marcas próprias com preços super tranquilos. No início fiquei desconfiada mas, por incrível que pareça, a maioria desses produtos genéricos são de ótima qualidade.

Cá entre nós, a coisa mais próxima do miojão aqui é essa maravilha

Cá entre nós, a coisa mais próxima do miojão aqui é essa maravilha

Mas se você quiser comer fora e o orçamento tiver apertado, os clássicos italianos sempre serão um pouco salgadinhos. Mas para esses momentos sempre existe um kebab amigo ou um restaurante chinês com um pratão por 5 euros. “The finest” da gastronomia internacional. E para ocasiões especiais (desculpa, eu sou pão-dura), os aperitivos!

Os aperitivos podem ser mais humildes ou mais ostentação, mas é o conceito que os torna especiais: Você compra uma bebida e pode se servir à vontade no buffet de massas, frios e petiscos. Ok que às vezes você vai pagar um rim pela bebida, mas é sua missão fazer valer a pena!

Deixe a educação que sua mãe te deu em casa

Deixe a educação que sua mãe te deu em casa

E não podia deixar de falar da perfeição, da perdição, da coisa mais linda que são os gelatos! Meu coração chora quando penso que em breve não terei mais gelato na minha vidinha miserável.

Gelato de fragola (morango) e vanilla da Gelateria Anfiteatro em Lucca

Gelato de fragola (morango) e vanilla da Gelateria Anfiteatro em Lucca

Por toda e qualquer cidade italiana você vai ver milhares de gelaterias de todos os estilos enquanto anda pelas ruas. Desde as pequenininhas meio escondidas até lojas enormes com cascatas de chocolate tentando te seduzir. Mas todo mundo, cedo ou tarde, encontra a sua gelateria favorita e se torna fiel a ela. Aqui em Firenze me divido entre duas: a “La Carraia”, que é indiscutivelmente a mais famosa, com sabores dahorísticos à beira do Rio Arno e a “Antica Gelateria Fiorentina”, que fica na via Faenza, uma das minhas ruas preferidas, e me conquistou com sabores mais simples como o de amarena (cereja silvestre) e o extra black (chocolate extra amargo), que são absolutamente incríveis!

Depois desse texto, já deve ter dado pra perceber que eu vou voltar pro Brasil rolando. Poderia ficar páginas e páginas descrevendo como provar a verdadeira mozzarella mudou minha vida e como é mágico comprar uma garrafa de vinho por 2 euros. Então vou parar por aqui. Mas fica o convite: se você também é uma alma gorda, a Itália está te esperando!