Pages Menu
Muitas papas na língua

Muitas papas na língua

Sabe aquele friozinho na barriga que bate antes de você apresentar um trabalho na frente da turma, dos professores e de seja lá quem mais for? Pois então, nunca fui muito de deixar isso me congelar. No meu normal, sempre fui muito calmo e tranquilo com relação a isso e, por isso, creio que nunca tive maiores problemas para apresentar qualquer tipo de trabalho.

Recentemente, no entanto, tenho me flagrado com as pernas um pouco trêmulas e um friozinho na barriga me pegando desprevenido momentos antes de apresentar um trabalho. Insegurança sempre foi normal e sempre soube lidar com a minha nesse tipo de situação, mas quando na frente de uma multidão de pessoas nativas, você precisa apresentar e convencer com uma apresentação em uma língua que não é a sua, a coisa aperta.

Falar, escrever e se comunicar é consideravelmente tranquilo, o problema que nos faz engasgar e a língua embolar é a terminologia. Expressões, palavras e outras coisas do nosso cotidiano como estudantes de Design acabam se perdendo na tradução. E isso, se não ponderado, pode acabar se tornando um grande problema, porque quando falta vocabulário pra explicar o que você fez ou está fazendo, seu discurso perde um bocado de credibilidade. Então, levando isso em consideração, um friozinho na barriga não é nada mais do que justificável, hehe.

Por uma alegria do destino, nossa tutora aqui é um amor de pessoa e tem nos ajudado muito a superar essa barreira do idioma. Já nos indicaram uma bibliografia com a terminologia mais básica e como a biblioteca aqui tem tudo de todas as coisas (ou algo próximo disso), não tem sido difícil encontrá-las e pra dar uma estudada.

De forma geral, tem sido bem tranquilo acompanhar e realizar os trabalhos. O único problema, a meu ver, é a dificuldade que os ingleses têm de ir direto ao ponto. Por isso, percebi que eles também têm um grande problema com críticas. Tanto para fazê-las, quanto para recebê-las. Parece que em toda orientação rola um medo de os alunos se sentirem ofendidos com as críticas feitas, o que realmente acontece muito, pelo fato de a maioria não lidar bem com isso.

Antes de ouvir a opinião de qualquer professor ou colega de classe, você vai ouvir muitos pedidos de desculpa, muita hesitação e muitas voltas serão dadas até chegarem (se chegarem) ao ponto. E, ao mesmo tempo, não é incomum ver pessoas saindo de sala chorando pelo fato de um professor ter apontado algo negativo em um projeto. O que eu vejo, muitas das vezes, como um empecilho no processo de aprendizado.

No mais, o inverno está chegando e eu tenho quase certeza que não estou pronto pra temperaturas negativas, porque, se agora já tá frio, eu não quero ver o que esse clima ainda pode nos trazer. Mas com o frio também vem a neve! E ver neve pela primeira vez realmente me deixa mais empolgado, e até mais disposto, a enfrentar seja lá o que mais possa vir com o inverno.