Pages Menu
“O mundo é bem menor do que eu pensava”

“O mundo é bem menor do que eu pensava”

A maioria das pessoas imagina que a adaptação em um país tão diferente como a Coréia do Sul deve ser complicada, ou que deve demorar um longo tempo. Para ser sincera, não tive grandes dificuldades para me adaptar e nem acho que é tão diferente do Brasil. A impressão que eu tenho após vir para cá é de que o mundo é bem menor do que eu pensava.

Como eu já disse antes, aqui na Coréia eu moro em um dormitório. Divido o quarto com uma chinesa-canadense. É tudo bem tranquilo e as únicas tarefas domésticas que realmente temos é limpar o quarto e lavar as nossas roupas. É proibido cozinhar dentro do dormitório, por questões de segurança, então as únicas opções que temos é comer fora ou comida de micro-ondas. Existe uma cozinha comunitária, mas ainda não fui lá. Estou estudando muito aqui, então ainda não tive tempo de preparar uma refeição caseira, haha. Existem várias opções de restaurante dentro do campus, mas ocidental eu só encontro hambúrguer, massa ou cachorro-quente. Caso nada te agrade, dá sempre pra comer frango frito! Aqui na Coréia é muito comum!

“Hot Dog Lab

“Hot Dog Lab” – O cachorro-quente é muito bom e o lugar é todo fofinho!

Por ser tudo no campus, a vida universitária é com certeza mais intensa. Existe toda a infraestrutura para estudar, praticar esportes ou participar de outras atividades aqui na KAIST (o chato é a preguiça. Não tenho bicicleta, então ando demais a pé!). A minha mente fica ocupada na maioria das vezes, então a saudade bate mesmo na hora que tenho tempo pra respirar. Em relação à metodologia de ensino aqui, confesso que tenho sentido algumas dificuldades. Primeiro porque é uma escola voltada para a engenharia. O curso de desenho industrial aqui dialoga muito com essa área (diferente da ED, que dialoga bastante com a Escola Guignard). Peguei uma matéria com muita matemática e física e estou tendo bastante dificuldade. É bem difícil de ver design emocional aqui também, eles focam mais na função do produto. Além disso, como o semestre é menor, é tudo em ritmo intensivo. Como já cheguei até aqui, estou levando as coisas com a mente aberta!

Os gastos que eu tenho aqui dão pra cobrir com a bolsa. Dá pra viver com um certo conforto, fazendo algumas economias, claro. O orçamento apertou pra mim em relação a gastos com o material de certas disciplinas aqui. Tem uma matéria em que eu preciso fazer uma cadeira, então só a madeira foi uns 200 reais, e por aí vai. Ao menos markers são bem baratinhos aqui! 🙂 Mas de resto, dá pra comprar as roupas de inverno e gastar com lazer também! Eu fui na Formula 1, realizei um sonho que tinha fazia muito tempo! Como foi um desconto pra alunos da KAIST, o transporte e o ingresso saíram por uns 100 reais! Muito legal mesmo!

GP da Coreia em Mokpo!

GP da Coreia em Mokpo!

Na semana passada tomei uma espécie de vacina contra a Influenza. Foi um spray nasal (muito estranho!) e foi uns 40 reais. Tomei só porque não tinha tomado no Brasil mesmo, mas recomendo que resolvam tudo aí! Aqui no campus tem uma enfermaria e uma clínica hospitalar. Na enfermaria eu fui uma vez quando machuquei a mão, não cobram nada, só é preciso ser aluno. Já na clínica, fui apenas para tomar a vacina, ainda nem verifiquei se o seguro cobre meu atendimento lá, hahaha.

Amanhã tenho uma prova de Product Design Engineering (a tal da matéria que me mata com os cálculos, haha). Vou indo, preciso descansar bem para dar conta do teste!

Até!

Paula