Pages Menu
Holanda, preparativos para a viagem

Holanda, preparativos para a viagem

Apesar do edital para a Holanda ser um pouco mais complicado, por ter que fazer diretamente o contato com as universidades, o resultado foi um dos primeiros a sair. Saiu no meio de abril, enquanto de outros editais, como o da França, por exemplo, saiu só em Julho.

Tive bastante tempo para ir atrás dos documentos, pesquisar preços e planejar o que fazer quando chegar aqui.

O CNPq depositou no começo de maio o primeiro pagamento que incluiu todos os auxílios (Saúde, Instalação, Material Didático e Deslocamento), mais as três primeiras bolsas. Depositaram em Reais mas usando o euro de comercio para a conversão, como só é possível comprar euro de turismo na hora de converter o dinheiro, já houve uma certa perda nos valores das bolsas, outra coisa que me prejudicou foi não ter trocado o dinheiro de reais para euros assim que recebi, esperei até julho e nesse meio tempo o euro aumentou mais de 20 centavos, o que me fez perder por volta de 800 euros da bolsa total.

Fiz um cartão VTM (Visa Travel Money) com a empresa Rating Câmbio. Pelo grupo do facebook eles ofereceram desconto na compra do euro de acordo com quantos bolsistas optaram por fazer cartão com eles. O que saiu mais em conta que os outros VTM que eu pesquisei. Optei pela bandeira MasterCard por ser mais aceita na Europa que o VISA. Viajei com 240 euros em mãos e o resto no VTM.

Os documentos que precisei trazer foram:

– Passaporte com o visto Holandês.

– Certidão de Nascimento com tradução juramentada para o Inglês, legalizada pelo Itamaraty MRE (EREMINAS) e pelo consulado Holandês em Belo Horizonte.

– Carta de benefícios enviada pelo CNPq por e-mail.

– A carta de aceite da universidade Holandesa.

Não é exigido cartão de vacina internacional para entrar na Holanda. O seguro saúde eu fiz pela Assist Card, estavam oferecendo um bom preço para bolsistas do CsF e eu paguei em reais, o que me salvou um pouco de dinheiro por não precisar fazer uma transferência internacional e pagar taxas altas para isso.

Eu comprei minha passagem em maio, saiu mais barato comprar ida e volta de uma vez. Foi pela agencia de viagens STB, mas aconselho comprar direto com a companhia aérea. E se comprar sua passagem com antecedência você pode olhar por preço de estudante, a maioria das companhias tem uma porcentagem de assentos com desconto em cada voo reservada para estudantes.

Sobre a moradia, depende muito, algumas universidades oferecem moradia estudantil, outras te ajudam a achar um quarto ou apartamento para alugar. A universidade que eu estou estudando não possui campus por isso não oferece moradia para os estudantes.

Eu estive o tempo todo em contato pelo facebook com os outros bolsistas do CsF que viriam estudar na mesma cidade que eu. Juntei com mais dois e decidimos procurar por apartamentos juntos, pois achamos melhor alugar um apartamento e dividir os custos, do que alugar um quarto em alguma república. Cheguei em Haia e fiquei hospedado em um albergue até achar um apartamento bom e em conta, o que levou cerca de uma semana. Pra fechar o contrato com a mobiliaria precisamos do passaporte, comprovante de renda (a carta de benefícios enviada pelo CNPq) e pagar dois aluguéis adiantados.

Eu cheguei aqui no verão, minhas roupas do Brasil serviram perfeitamente para essa estação, mas por volta de setembro já começou a esfriar, trouxe duas bermudas que usei no primeiro mês e nunca mais saíram do armário. As jaquetas e suéter que trouxe serviram até agora, mas com a temperatura chegando abaixo de zero vou precisar comprar um casaco mais quente e que corte o vento. Aconselho comprar esse tipo de casaco por aqui, já que no Brasil é mais difícil de achar e bem mais caro. As demais roupas são quase o mesmo preço que roupas no Brasil, ai fica a critério seu comprar aqui ou trazer as que já possui.

Trouxe apenas um caderno de desenho e minhas canetas, computador, um HD externo com todos meus arquivos, celular (se for Quad Band funciona com o chip europeu), e produtos de higiene para os primeiros dias que estive no hostel.

Trouxe também alguns produtos brasileiros que são difíceis de encontrar por aqui, como uma boa cachaça, havaianas, etc… Mas fiquei surpreso e feliz em achar vários produtos como farinha de mandioca, polvilho, tempero baiano, fubá, feijão… em uma mercearia Surinamesa aqui perto de casa.

Trouxe também um caderninho com mensagem de vários amigos e familiares, é muito bom ler ele nos momentos que a saudade bate.